Share Button

[primeira parte]

2. Preparando o Sensor

Escolha o seu sensor entre os vários disponíveis em MySensors – baixe o código e siga as recomendações – pode acreditar… vai funcionar.

Os programas escritos para Arduino seguem o padrão C/C++ (ver mais) e utilizam uma IDE básica com suporte a uma variedade impressionante de processadores da linha ATMEL.

Uma vez instalado a IDE e feito escolha do sensor que irá utilizar o próximo passo será montar a parte eletrônica do sensor ( Arduino + Rádio + Sensor ).sensors

Agora que já tem o código do sensor e a eletrônica montada – é hora de transferir o programa para o arduino – vai encontrar farto material de como fazer isto tanto em MySersors como em  arduino.cc.

Se tudo deu certo… você já tem um sensor funcionando…

 

Até aqui não temos Delphi… na próxima fase vamos trabalhar o Gateway.

 

[continua]

 

Share Button

Uma solução popular para integração de IoT é fazer uso da plataforma Arduino como base de aquisição de dados de campo.

Para alguém que nasceu enfiado no código, como eu, a eletrônica parece se uma barreira – esquece… isto era antes de Arduino.

“Arduino, palavra por vezes traduzida ao português como Arduíno, é uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre e de placa única, projetada com um microcontrolador Atmel AVR com suporte de entrada/saída embutido, uma linguagem de programação padrão, a qual tem origem em Wiring, e é essencialmente C/C++. O objetivo do projeto é criar ferramentas que são acessíveis, com baixo custo, flexíveis e fáceis de se usar por artistas e amadores. Principalmente para aqueles que não teriam alcance aos controladores mais sofisticados e de ferramentas mais complicadas.” (Wikipédia)

Como plataforma de prototipagem permite infinitas possibilidades de soluções e conexões com sensores e interação com objetos nas mais diversas área da tecnologia. Arduino como precursora dos processadores que cabem na palma da mão – praticamente se tornou um padrão de mercado para a indústria, onde já encontramos importantes players se dedicando em lançar produtos/placas com a filosofia disseminada pelo Arduino.

Quando se olha do lado do hardware, encontramos em MySensors uma base de integração bem servida de sensores e atuadores para soluções comuns do dia-a-dia.

Como protocolo MySensors estabelece regras simples de troca de informações por porta SERIAL ou TCP/IP (Ethernet) no PC e Rádio (sem fio) no lado do hardware, que permite receber dados coletados de campos e/ou enviar dados para os sensores de campo utilizando comunicação sem fio (rádio).

Quando um ponto MySensors se comunicam sem si ( entre sensores ), ele utiliza uma estrutura de rede MESH em que estabelece uma relação de recepção dos dados endereçados ao próprio ponto (sensor) e retransmissão do sinal quando
forem informações destinados a outro sensor seu vizinho. De forma colaborativa em uma rede MESH o dado viaja entre os sensores até chegar ao seu mestre principal (gateway-gw) – o que torna cada ponto (sensor) em um repetidor (R) de sinal;

Um sensor envia um dado para o Gateway em formato texto (ex: 12;6;0;0;3;My Light\n) – se o destino/Gateway estiver fora do alcance, o dado é retransmitido pelos vizinhos até chegar ao seu destino final.

Uma variedade de sensores podem ser conectados ao seu Arduino que se comunica com o Gateway usando protocolo MySensors e chega ao PC para gerência, armazenamento e/ou reação comandando novas ordens aos sensores.

[continua…]